André Mesquita
 
010_andre mesquita_©BS_ (1).jpg

 Fez a sua formação artística na Academia de Dança Contemporânea de Setúbal e na Companhia Nacional de Bailado (CNB, Lisboa). Iniciou muito cedo (16 anos) a sua carreira como bailarino na CNB e consequentemente na CeDeCe em Setúbal de onde é natural, e ainda no seu país, na Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo de Vasco Wellenkamp. Desenvolve uma atividade independente desde 2006, ano em que cessou funções como bailarino solista e professor residente na Tanz Companie do Stadttheater Hildesheim (Alemanha).

Fundador da TOK’ART – Plataforma de Criação, partilhou a respetiva direção artística com Teresa Alves da Silva e nela desempenhou também as funções de coreógrafo associado. Coreografou em companhias como, o Ballet Real da Flandres (Antuérpia), o Balé da Cidade de São Paulo, o Danish Dance Theater (Copenhaga), a Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo, o Tanz Luzern Theater (Suíça), e o Northwest Dance Project (Portland, USA), entre outros. Em 2009 foi galardoado com o prémio Uncontainable II do Ballet Real da Flandres (direção artística de Kathryn Bennetts) e também como coreógrafo no 13th International Solo-TanzTheater Festival de Estugarda. Foi ainda agraciado na competição do Cross Connection Ballet de Copenhaga com o prémio de produção e que teve como resultado a criação de uma peça com bailarinos do Royal Danish Ballet, Danish Dance Theater de Copenhaga e Skanes Dance Theater da cidade de Malmo na Suécia.

Foi artista residente do Centro Cultural do Cartaxo de 2007 a 2011 e em Portugal tem criado através da TOK’ART em parceria com a EGEAC, o Teatro Maria Matos (Lisboa), o Teatro Viriato (Viseu), a Companhia Nacional de Bailado, o Teatro Nacional de São João (Porto) e o Centro Cultural Vila Flor em Guimarães. O seu trabalho foi apresentado em inúmeros teatros portugueses. Destaca-se ainda a internacionalização do seu trabalho com apresentações em vários festivais e países europeus (Chipre, Grécia, Alemanha, Espanha e Croácia), Médio Oriente (Palestina), Estados Unidos da América (Portland e Nova Iorque), Brasil (São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, entre outras), e ainda, China.

Em 2013, a convite do diretor Pedro Pires criou 'Romeu e Julieta' para o Ballet da Cidade de Niterói (Rio de Janeiro) e 'Salto' para o Teatro Nacional de São João do Porto. Esta última destacada pela Sociedade Portuguesa de Autores com o prémio de melhor coreografia do ano 2014. Ainda no mesmo ano coreografou a 'Dança dos Sete Véus' para a soprano Nadja Michael com o elenco do Balé da Cidade de São Paulo na ópera 'Salomé' com direção de Livia Sabag. 'Salomé' , de Richard Strauss, foi eleita a melhor produção operática do ano pelo público especializado do "Guia" da Folha de São Paulo. Quando a convite de Pedro Pires revisitou 'Romeu e Julieta' no Ballet da Cidade de Niterói (peça recorde de audiência no Brasil que conta já com cerca de 25.000 espectadores), criou também um dueto masculino com o título 'Córtex'.

Paralelamente à sua actividade de criação e coreografia desenvolve trabalho como formador e Mestre de Bailado. Ensinou em diversas escolas portuguesas e destaca as parcerias com o Balé da Cidade de São Paulo, o Ballet da Cidade de Niterói, o Ballet Jovem de Minas Gerais, a Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo, e ainda a sua colaboração com os Estúdios Victor Cordon, - parceiro estratégico da Companhia Nacional de Bailado em Portugal.